GBL@user@2019 19 de fevereiro de 2019

O Superior Tribunal de Justiça mudou a acusação contra a psicóloga Natália Ponte que estava sendo acusada por homicídio culposo na morte do seu filho Joaquim Ponte Marques. De acordo com o pedido da acusação, ela passará a responder por homicídio doloso quando tem a intenção de matar.

Para a promotoria, ela sabia dos riscos ao deixar o filho sob os cuidados do padrasto Guilherme Longo, que está preso por matar o enteado com uma dose elevada de insulina em Ribeirão Preto (SP). A criança tinha diabete e necessitava diariamente da substância para regular o nível de açúcar no sangue. Mas a aplicação de quantidade excessiva o teria levado à morte.

O julgamento ainda não foi marcado e a defesa de Natália, que vinha alegando a tese de que ela não teve culpa no ato praticado pelo companheiro, disse ainda não ter sido informada sobre esta nova decisão da Justiça.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*